sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

Refutando "crentelhos" pela internet


4 comentários:

  1. Certamente isso ocorre e se mostra como um número expressivo no meio ateu, infelizmente, mas ainda sim, não deixa de ser exclusivo desses. Entre, a população de fé, sejam quais forem, é grande também, ao olhar os comentários em seu próprio blog peeceberá isso. Além de, não só compartilharem e comentarem coisas do gênero, que de nada ajudam o debate, mas também aceitando qualquer coisa advinda de "autoridades" religiosas.

    ResponderEliminar
  2. Entendo que não há problemas em ateus e agnósticos estudarem mais o Cristianismo em suas várias vertentes frutos de interpretações diferentes. Ateus e agnósticos podem desenvolver argumentos consistentes.

    Luiz

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É justamente esse o ponto a ser debatido Luiz. O ateísmo militante só produz prosélitos com informações pré concebidas (não que isso deixe de ser aplicado no meio cristão). Mas a audiência dada por muitos meios de comunicação tendem a realçar essa visão neo ateísta como argumentos válidos (vide Kefera e seu "manexplain").
      No mais o ateísmo não propõe nada, apenas uma posição antagônica ao teísmo.
      Fora as tidas lacrações, o que o ateísmo organizado fez para o mundo além de regimes ditatoriais comunistas?
      O problema não está no sujeito ser ateu, é um direito exercido através do estado laico, mas sim nessa onda de apropriação das causas sociais (das quais a maioria sequer conhece) para usar de bandeira contra a moral cristã. Esta aliás, que está além de qualquer religião que se pregue, pois desde a época dos apóstolos do primeiro século já sofria deturpações de "senhores da moral" que queriam apenas as benéfices da autoridade proposta por essa doutrina. Mas no fim eram apenas homens, assim como nós, e não é por aí.
      Quem ler o novo testamento vai ver que entre eles mesmos haviam divergências, mas a luz para elucidar tais coisas é Jesus, além disso é anátema

      Eliminar
  3. Olá Luciferiano

    Não vejo problema em um ateu ser militante ou defender o ateísmo desde que tenha argumentos plausíveis então no meu ponto de vista nada impede um ateu militante estudar melhor as Religiões, Ciência, História, Filosofia a Teologia e não vejo diferença entre neo-ateu e ateu de acordo com uma perspectiva Bíblica pois de acordo com a Religião Cristã ambos não serão salvos mesmo que um ateu respeite o Cristianismo, Jesus, Papa, Pastores, seja capitalista seja contra o aborto se não aceitar Cristo biblicamente ou cristianicamente falando será condenado.

    Sim haviam divergências, mas não deveriam pois Cristo sempre pregou Unidade uma só fé e um só batismo os que não compreendiam a Sã Doutrina deveriam ser ensinados pelos que entendiam pois Jesus não pregaria que a alma é imortal e dois dias depois pregaria que ela é mortal e também não poderia ensinar o pré-tribulacionismo e em outro dia o pós tribulacionismo pois isso não tem lógica nenhuma ainda mais que Cristo é a Cabeça da Igreja e o Espírito Santo que até onde eu aprendi não era Deus de confusão e portanto deve orientar todos os crentes para terem uma única doutrina e considerando que Jesus é a luz para esclarecer isso pense comigo se um dos crentes contemporâneos de Jesus perguntassem para Ele se o arrebatamento era pré ou pós tribulacionista Ele não teria dúvida nenhuma alguns discípulos até poderiam ter dúvidas mas isso não significa que deveriam ficar com tais dúvidas pra sempre e os outros discípulos deveriam explicar a Verdade da Sã Doutrina para eles. No meu entendimento isso é um erro dos crentes pois se tem um arminiano e um calvinista geralmente os crentes acham que está tudo bem ou seja que se pode optar por uma ou por outra visão mas não é isso que a lógica e a coerência ensinam.

    Pelo que eu entendi você fez uma distinção entre Moral Cristã e Religião ora a moral Cristã é inseparável da Religião Cristã pois Jesus nunca foi contra a Religião dos Israelitas e foi Jesus que fundou a Religião Cristã com a Sã Doutrina inseparável da moral. Jesus nunca criticou a Religião dos Israelitas o que Ele criticou foi a atitude de alguns líderes religiosos que não seguiam a Religião Israelita.

    Não nego que os cristãos são pessoas inteligentes e deram e dão uma contribuição muito grande à Humanidade porém eu vejo nisso uma ação pessoal ou seja muitos seres humanos tiveram contato com a Bíblia e se sentiram motivados a fazer tais coisas porém a ação é humana ou seja os méritos são humanos e o estudo das Ciências é extra-biblica e mesmo que você argumente que a Graça de Deus age nos seres humanos essa Graça é impessoal e necessita de seres pessoais para agir então é o homem que implemente a ação num processo natural.

    ResponderEliminar