quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Justiça autorizou "cura gay"? Entenda

Um juiz da 14ª Vara de Justiça do Distrito Federal chamado Waldemar Cláudio de Carvalho provocou a fúria de muitas pessoas ao conceder uma liminar que autoriza psicólogos a oferecerem terapias a gays que porventura não se sintam bem com sua condição. Esse tipo de terapia foi apelidada pelos críticos de "cura gay".

Segundo a Resolução 01/99 do Conselho Federal de Psicologia, os psicólogos estavam proibidos de executar qualquer ação que favoreça a patologização de comportamentos ou práticas homossexuais. De acordo com os críticos esse tipo de terapia sugere que a homossexualidade é uma doença, pois necessita de tratamento. Assim, muitas pessoas protestaram contra a liminar, principalmente nas redes sociais.


E a mídia, sempre mentirosa e parcial, divulgou a decisão judicial como  liberação da "cura gay":



A Justiça de fato liberou a "cura gay"? Entenda o que de fato foi liberado.



Em primeiro lugar é bom ressaltar que não existe nenhum tratamento para "curar gays", pois atualmente a homossexualidade não é considerada uma doença. Na verdade o termo "cura gay" foi inventado pela própria militância gay. Eles inventaram o termo, e eles mesmos atacam o termo.

Como a Resolução 01/99 proibia qualquer ação que pudesse favorecer a patologização da homossexualidade, os psicólogos não podiam ajudar homossexuais egodistônicos, ou seja, aqueles homossexuais inconformados com sua orientação sexual. Esse tipo de homossexual enfrenta um conflito interno muito forte, pois sente atração por pessoas do mesmo sexo, mas busca meios de controlar essa atração para evitar transtornos psicológicos e comportamentais associados. O único profissional que poderia ajudá-lo a encontrar a paz interior é o psicólogo, mas esse estava impedido de oferecer ajuda.

Com essa decisão proferida em caráter liminar (provisório), esses gays poderão receber auxílio psicológico. Isso não significa transformar um gay num hétero, mas dar auxílio psicológico aos gays
egodistônicos que porventura precisem e queiram esse auxílio.

Rotular isso como "cura gay" só mostra o quanto os responsáveis por essa "revolução sexual"distorcem os fatos. Em nenhum momento se falou em "cura gay"! O juiz responsável pela liminar, inclusive, deixou claro em seu texto que, ao analisar o caso, adotou como premissa o posicionamento da Organização Mundial da Saúde de que "a homossexualidade constitui uma variação natural da sexualidade humana, não podendo ser, portanto, considerada como condição patológica".

A Ação Popular que pediu essa liminar se baseou no Art. 5, inc. LXXIII da Constituição Federal e alega, dentre outras coisas, que a Resolução 01/99 proporciona um verdadeiro ato de censura, impedindo os psicólogos de desenvolverem estudos, atendimentos e pesquisas científicas acerca dos comportamentos e práticas homoeróticas, o que seria prejudicial ao patrimônio cultural e científico do país.


sábado, 16 de setembro de 2017

Protejam seus filhos



Os relativistas seculares estão mesmo engajados numa guerra para destruir os valores morais da sociedade, e seu alvo principal são as crianças. Eles tentam introduzir seus materiais sórdidos nas escolas, nas exposições artísticas, nas novelas e até mesmo em desenhos animados. As cenas acima são da série Big Mouth, lançada pela Netflix. Preste atenção no que o seu filho anda assistindo por aí.

domingo, 10 de setembro de 2017

Banco Santander promove exposição blasfema



O centro cultural Santander Cultural, mantido pelo Banco Santander, trouxe para o Brasil a exposição  "Queermuseu" com cerca de 270 obras assinadas por 85 artistas LGBT. Teoricamente a mostra busca promover a diversidade, mas não foi exatamente isso o que se viu por lá. Na verdade a exposição foi alvo de muitas críticas, e a repercussão negativa fez com que o banco fechasse a mostra antes do programado.

Mas o que fez com que a mostra tivesse essa repercussão tão negativa?


Imagine se você fosse visitar uma exposição com a temática "diversidade" e desse de cara com pinturas promovendo a pedofilia, zoofilia, sexualização precoce de crianças, pornografia e de quebra pinturas e objetos que profanam a fé cristã... Imaginou? Pois é! Foi exatamente o que as pessoas viram por lá. Foi um festival de horrores, uma verdadeira afronta aos valores de nossa sociedade.

Veja algumas das "obras de arte" presentes na tal exposição:

Incentivo à zoofilia e pornografia explícita



Uma das instalações mostrava uma mala cheia de hóstias. Cada hóstia continha inscrições do tipo: vagina, ânus, vulva e língua. Um verdadeiro vilipêndio a algo considerado sagrado pelos católicos.




Representação de crianças trans. "Criança viada e travesti", diz a legenda




Jesus representado como um macaco


Mais pornografia explícita. Lembrando que crianças estavam presentes no local.

O pior de tudo isso é que esse "escárnio travestido de arte" foi financiado com dinheiro público. O projeto recebeu 1 milhão de reais pela Lei de Incentivo à Cultura, com o apoio do Ministério da Cultura e Governo Federal.

Além dos protestos que culminaram no cancelamento da exposição, uma agência do banco foi pichada:

Banco pedófilo... "Satãnder"

"Banco Santander apóia a pedofilia. São anticristãos"

Uma petição online denominada "REPÚDIO À EXPOSIÇÃO BLASFEMA DO SANTANDER CULTURAL" também foi aberta. Para assiná-la CLIQUE AQUI. O texto do repúdio afirma que o evento promoveu o escárnio ao cristianismo, assim como o incentivo à pedofilia e à pornografia, e tudo isso sob o pretexto de "divulgação artística".

“Aprendam uma lição básica: o movimento LGBT usa a bandeira da tolerância para escarnecer, atacar e vilipendiar aquilo que outros consideram sagrado e ao mesmo tempo não toleram nenhum tipo de crítica!”.

O banco Santander publicou um pedido de desculpas em sua página do Facebook:

Parte do "pedido de desculpas" do Santander 






Nota do editor: Uma coisa é apoiar e promover a diversidade, mas outra coisa é apoiar e divulgar o trabalho de pessoas mal intencionadas que usam o pretexto da diversidade para atacar de forma velada seus desafetos (religiosos cristãos) escarnecendo de sua crença e vilipendiando seus objetos de culto (o que é crime). Pessoas relativistas que tentam a todo custo destruir os valores morais na sociedade, promovendo e incentivando coisas absurdas como a pedofilia, pornografia, sexualização precoce de crianças, zoofilia e coisas do tipo. E pior de tudo: usando dinheiro público. Lamentamos que um banco renomado como o Santander apoie tais indivíduos. Lamentamos mais ainda que o dinheiro público oriundo de nossos impostos seja aplicado em eventos desse tipo. Lembrando ainda que ofensa não é arte. 

Pelo menos uma coisa positiva eu pude observar nesse caso: a reação dos cristãos. Tirando o caso das pichações, que são desaconselháveis, a indignação e protesto dos cristãos foram válidos. Se agíssemos dessa forma todas as vezes que grupos anticristãos resolvessem atacar nossa fé, certamente inibiríamos novos ataques, pois esses militantes covardes se aproveitam da inércia dos cristãos diante de ataques desse tipo. Por isso mesmo os cristãos são os alvos prediletos desses militantes LGBT. Note que os grandes eventos LGBT sempre fazem algum tipo de ataque à fé cristã. Na Parada Gay, por exemplo, sempre existe algum tipo de escárnio a personagens bíblicos e vilipêndio a objetos de culto. Como eu já disse, esses militantes utilizam falsamente a bandeira da diversidade para fazer ataques contra aqueles que não se dobram diante da ditadura que eles querem impor à sociedade... A ditadura do relativismo moral, da destruição de valores e do fim da família tradicional. Temos que nos impor antes que seja tarde demais. 

domingo, 27 de agosto de 2017

O poder para acabar com a fome no mundo está nas mãos dos poderosos... mas não o querer...


Pois é!

































Fonte

Bactérias que digerem nylon - a grande "prova" dos evolucionistas



Esse não é um assunto novo, mas como eu ainda não tinha falado sobre isso aqui, vou deixar registrado.

Sabemos que os evolucionistas vivem procurando evidências para sustentar seus pressupostos naturalistas, e a vontade de encontrar tais evidências é tão grande que às vezes os leva a se precipitar. Um exemplo disso foi o famoso caso do  Homem de Nebraska. Quem não se lembra desse caso burlesco? Alguém encontrou um dente no chão e já saiu falando que ele pertenceu a um ancestral humano. Proeminentes autoridades científicas da época corroboraram a "grande descoberta" que mais tarde se mostrou errônea! Era apenas um dente de porco. Pois é! Erros podem acontecer, principalmente quando a vontade de comprovar algo é maior do que a vontade de investigar. Agora temos um novo exemplo de precipitação evolucionista: as bactérias que digerem nylon.

Bactérias que se alimentam de nylon

Por que a descoberta dessas bactérias está causando alvoroço entre os proponentes da teoria de Darwin? Veja bem: o nylon (náilon) é uma substância que foi desenvolvida no século 20, e portanto não poderia servir de alimento para essas bactérias. Se essas bactérias estão se alimentando de nylon, isso significa que elas sofreram algum tipo de mutação para passar a digerir essa fibra sintética. Isso, em tese, seria um tipo de evidência da evolução darwiniana.

Por que isso não é prova?

Bactérias que passam a digerir nylon são exemplos de microevolução ou de macroevolução? Essa é a pergunta chave! Praticamente nenhum crítico da teoria da evolução nega que pequenas mudanças abaixo do nível taxonômico das espécies aconteçam. Chamamos isso de "microevolução", ou seja, pequenas e limitadas mudanças nas espécies. Todos os seres vivos possuem uma reserva genética que dá a eles a capacidade de adaptação, variação, especialização e especiação. Isso é necessário à sobrevivência dos seres vivos. Agora dizer que essas pequenas mudanças, quando acumuladas por bilhões de anos, são capazes de fazer com que os descendentes de uma simples bactéria mudem até se tornarem elefantes, é algo difícil de acreditar. Mas é justamente isso o que a teoria de Darwin afirma.

Mecanismo desconhecido ou evolução darwiniana?

Por que não devemos considerar o caso das bactérias comedoras de nylon como um exemplo de evolução darwiniana? Simples: segundo os proponentes da teoria da evolução as mudanças evolutivas ocorrem da seguinte forma:

1- o ser vivo sofre uma mutação, que na verdade é um erro de cópia do material genético que acontece durante a divisão celular. Essa mutação é randômica, ou seja, ela acontece ao acaso, sem propósito algum. Tal mutação pode ser benéfica, maléfica ou neutra.

2- se essa mutação trouxer problemas para o animal, ele provavelmente vai ter desvantagens em seu habitat, e isso provavelmente fará com que ele morra sem passar essa mudança para seus descendentes. Se a mutação for benéfica, ele passará essa mudança para sua prole. Essa seria a seleção natural.

No caso dessas bactérias é muito mais racional acreditar que essas mudanças ocorreram em resposta à uma situação de estresse, ou seja, ao invés de mutações ocorrendo ao acaso e sorte (evolução darwiniana), temos um mecanismo pré-programado capaz de produzir mudanças adaptativas que respondem a necessidade do ser vivo. Mudanças com propósito específico.

A exposição da bactéria a uma situação de estresse pode ativar a transposase e provocar uma recombinação genética. A presença de transposases em tais números no plasmídeo sugere que o plasmídeo foi projetado para se adaptar quando a bactéria se encontra exposta a situações de estresse, como fome, exposição ao veneno ou altas temperaturas. Além disso, não foi encontrada homologia entre essas enzimas e as enzimas conhecidas.

Isso faz tanto sentido que até possui base experimental.  Pesquisadores japoneses conseguiram fazer com que bactérias que não tinham enzimas capazes de degradar o nylon, passassem a degradá-lo em apenas 9 dias. Isso sugere um mecanismo especial para tal adaptação, e não um processo aleatório através de uma seleção natural.

(Prijambada, I.D., Negoro, S., Yomo, T. and Urabe, I., Emergence of nylon oligomer degradation enzymes in Pseudomonas aeruginosa PAO through experimental evolution, Applied and Environmental Microbiology).